La versión de su navegador no está debidamente actualizada. Le recomendamos actualizarla a la versión más reciente.

IGREJA DE “LA SOLEDAD”

IGREJA DE “LA SOLEDAD”IGREJA DE “LA SOLEDAD”

A antiga ermida de “La Soledad” foi mandada construir por D. Francisco de Tutaville y de Tufo, Duque de San Germán y Capitão General de Extremadura. Consagrada no dia 1 de abril de 1664, pelo Bispo Gerónimo de Porras, a antiga Ermida ocupava umas casas perto da residência do Duque, tal como uma parte do que atualmente ocupa o espaço do edifício de “La Giralda”. A sua primitiva fachada barroca, de mármore português do século XVIII, trasladou-se ao Parque Infantil, onde permanece até aos dias de hoje. 

Estando esta ainda na sua primeira localização, a ermida foi alvo de vários restauros no princípio do século XX e, dado o seu estado de ruína, a imagem da Virgem de “La Soledad” mudou-se para a Catedral enquanto se construía o novo edifício. Este novo edifício foi encomendado ao arquiteto Martin Corral e a primeira pedra colocou-a o Bispo de Badajoz, Don José María Alcaraz y Alenda, no dia 26 de dezembro de 1931. A conclusão das obras deu-se no dia 7 de Julho de 1935, dia no qual a imagem da Virgem foi trasladada, em procissão, desde a Catedral até ao seu novo templo.

A atual Igreja de “La Soldedad” alberga duas capelas sobrepostas. A capela do rés-do-chão alberga a imagem da Virgem de “La Soledad”, padroeira da cidade, que o próprio Duque havia encomendado, em 1660, a um escultor de Nápoles. A capela superior é de uma enorme beleza, sendo esta custeada pela família Olleros. Decorada em estilo neobizantino, trata-se de uma réplica do salão do trono do rei Luís II "O Louco" da Baviera.

A capela superior
A capela superior

A Pontifícia e Real Irmandade e Confraria de Nossa Senhora de “La Soledad” foi fundada no século XVII pelo Duque de San Germán e os seus mandados foram aprovados pelo Real Conselho de Castela no ano de 1805.

Vista da ruaVista da rua

Vista da rua